9 de novembro de 2007

Em busca da paz interior *


Em busca da paz interior *




Quando o cordão umbilical que nos liga à mãe natureza é cortado, começamos a preterir os instintos para agir racionalmente. Então passamos a incorporar ao nosso estilo de vida uma série cada vez maior de hábitos e costumes prejudiciais à saúde...

Esse quadro é muito difícil de ser revertido porque o homem moderno é extremamente solicitado e assume cada vez mais compromissos. Conclusão: quase não sobra tempo para estar consigo mesmo e refletir sobre o seu projeto de vida.

Ao mesmo tempo, procuramos usufruir os prazeres que a vida nos oferece, mas lutando contra o tempo que escoa cada vez mais rápido. Temos momentos alegres e tentamos ser felizes através de realizações ambiciosas ou da conquista de bens materiais. Muitos, até, aceitam imensos sacrifícios e correm riscos para chegar ao topo. Mas, quem conseguiu atingir suas metas, em geral, constatou que a felicidade não se encontra lá.

Em meio a tanta confusão, muitos estão à procura de novos referenciais para enriquecer de sentido as suas vidas. Mas não existem modelos prontos; esses referenciais estão dentro de cada um...

Muitos questionam: como buscar a paz quando nosso mundo interior vive tumultuado e cheio de conflitos?

Aí é que está a questão. Nosso mundo interior é invariavelmente calmo. O que vive em estado de agitação e confusão é apenas a nossa mente. Portanto, para encontrar a paz interior, devemos mergulhar profundamente dentro de nós. As tempestades agitam apenas a superfície; na profundidade, as águas são serenas e silenciosas.

Assim sendo, a agitação mental é a primeira barreira a ser vencida para realizar uma viagem ao mundo interior.

(Wanderley Pires do livro “Qualidade de Vida”, ed. Komedi)

beijos bom finds

dr x

Um comentário:

BethS disse...

Que legal esse texto! não conhecia o livro, vou procurar.
Beijos!