6 de julho de 2006


Saber amar

Por mais que o poder e o dinheiro tenham conquistado uma ótima posição no ranking das virtudes, o amor ainda lidera com folga. Tudo o que todos querem é amar. Encontrar alguém que faça bater forte o coração e justifique loucuras. Que nos faça entrar em transe, cair de quatro, babar . Que nos faça revirar os olhos, rir à toa, cantarolar dentro de um ônibus lotado (tem algum médico aí? Psicólogo?).
Depois que acaba esta paixão retumbante, sobra o quê? O amor. Mas não o amor mistificado, que muitos julgam ter o poder de fazer levitar. O que sobra é o amor que todos conhecemos: o sentimento que temos por mãe, pai, irmão. É tudo o mesmo amor, só que entre amantes existe sexo. Não existem vários tipos de amor, assim como não existem vários tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta. Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna.
No amor, tem que haver confiança. Uma certa camaradagem: às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, só não basta.

Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. O amor é grande mas não é dois. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.



Esta Noite
De noite viro de um lado e do outro
O sono custa a chegar
Só você é capaz deste estrago
Mas meu amor...eu não posso evitar
A noite inteira eu sonho acordado
Esperança, desejos sufocados
Loucuras então nem posso falar
Mas imagino você nos meus braços
Me beijando, mordendo , me fazendo de escravo
Acordei então, mais uma vez frustado.

(AD)

Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós
Um beijo para Bete, que está fora do ar esta semana...

abraços

dr x

2 comentários:

nanda disse...

Passando aqui, deparei-me com este maravilhoso texto...concordo com vc dr querido, noossa..suas palavras são como flechas no coração de qualquer mulher....lindo..porque não maravilhoso....

E esse poema então....

Deletei o meu blog....mas não vou te esquecer...

Te adoro de montão...vc é demais


nanda

Maria Bonita disse...

Ola Dr X,

Querido, que texto otimo!

Voce disse no comentario que acabou de deletar um desabafo, esse pareceu um e que desabafo ao mesmo tempo, dicas, ensinamentos...

Gostei.

Para o amor, precisa muito da cumplicidade lado a lado.

Obrigadíssima pela visita. Espero poder vê-lo novamente.

Tenha um otimo final de semana!