20 de dezembro de 2005

ORAÇAO DA LINGUA LATINA

Não sou advogado honoris causa mas o meu alter ego me obrigou a fazer um inventário (inventar é o meu modus operandi) de um de cujus cuja causa mortis ignoro mas desconfio que, por saber demais, deu com a língua nos
dentes.

Guardem in memoriam que esta senhora, mãe do Português/Espanhol/Francês/Italiano et caetera, era sui generis, o sussumum, digo, o supra summum da sabedoria.

Falando em Português claro, vivo e teen, o Latim era curtus et grossus. O que era dito em Latim, virava lei. Vide processus nos habitats da Justiça em que causídicos abusam das expressões latinas ipsis litteris confundindo a outra parte que, quando descobre o real significado da citação, já perdeu o prazo, ou a causa e, às vezes, o juízo.

Para este humilde scribas, um hetero sapiens, (homo? tô fora!), data venia, foram os detratores - incapazes de compreender in toto um idioma tão sofisticado - os responsáveis pela exclusão do hors concurs Latim do curriculum escolar que, desde então, passou a ser ridiculum!

Consumatum est, errare humanum est, o tempora! o mores!, que vade retro essa vanguarda do atraso que quando ouve falar em sine qua non se lembra do ex-deputado João Alves, o ?cínico anão? do Orçamento;

Fiat Lux, para esses adeptos do panem et circenses, são marcas de carro e sabonete respectivamente;

Porcus tristis, para essas personas non gratas, são palmeirenses eliminados da Copa Libertas quae sera tamem;

e mea culpa, para essas avis raras, trata-se de uma confissão de um ebrius, in delirium tremens, depois de várias doses de Natu Nobilis: mé, a culpa!

Esses assassinos da língua, ateus graças a Deus pois odiavam a missa em Latim, fãs do Latino ? aquele da Festa no Apê - quando latem que o Latim é uma língua morta cometem um lapsus linguae porque o Latim está vivíssimo neste novo milenium.

Por exemplum, o moderno fax não passa de uma corruptela do antigo fac-símile. Em nosso dia-a-dia, segundo o Vox Populi, o Latim está presente em palavras como a priori, Habeas Corpus, statu quo, pro forma, pari passu, sub judice, pro rata, ônibus, per capita, grátis, idem, e há de estar per saeculum saeculorum ad infinitum.

Amém.

(Jorge Nagao)


DR X

3 comentários:

Palpiteira disse...

Helloooo! Quem é vivo sempre aparece. :D Tudo bem por aqui?
Beijos.

Márcia(clarinha) disse...

aff!
acho que estou mais burrinha que de costume ou estou super preguiçosa,não entendi nadica,rsss
mas bom saber que o Drzinho [que nem sabe mais o caminho do meu blog] voltou!
beijosssssssssss
*Bete valeu por suas visitas,adoro-te!!rss

Ei, Porra! disse...

Latim é um idioma que eu gostaria de aprender. Pra xingar com classe, claro.